en-us-B a b y   L e d   W e a n i n g   &   M i n d f u l n e s s

10/11/2019


Há cerca de um mês atrás , vieram ter comigo notícias sobre o BLW, mas afinal o que é isto?

A expressão Baby Led Weaning (BLW) foi criada por Gill Rapley, uma Consultora de Saúde e Parteira britânica. Trata-se de um método de introdução alimentar que consiste em oferecer os alimentos em pedaços aos bebés.

Por ser totalmente oposto ao método tradicional,o BLW gera imensas controvérsias e também alguns receios nos pais, que se questionam muitas vezes se os seus filhos estão a receber todos os nutrientes supostos nesta nova etapa da vida.
Para responder a estas dúvidas é importante referir que a filosofia do BLW funciona a par com um regime de amamentação em livre demanda. "É importante permitir que o bebé consuma a quantidade que quiser de leite materno. Nenhum outro alimento é tão completo e tão fácil de digerir" diz Gill Rapley. Ora, sabendo que durante o primeiro ano de vida o alimento principal dos bebés deve ser o leite materno, este método de introdução alimentar em slow motion faz todo o sentido.
Porém as dúvidas normais dos novatos pais: 

Por onde começar? Não é perigoso? O bebé não se pode engasgar? Não faz uma grande borrada? Ele não vai ficar com fome?

Bom ao início não é esperado que o bebé comece logo a comer como se não houvesse amanhã, ele vai mais brincar do que ingerir os alimentos e por vezes, nem os levará à boca. No entanto ele vai tomar contato com cada um deles, sentir a sua textura, distinguir as suas cores, perceber os seus cheiros e sabores, ao contrário do que acontece com a comida de colher.

No BLW os alimentos são oferecidos aos bebés,(durante o tempo de refeição familiar), colocados num prato, ou no próprio tabuleiro da cadeira da papa, e ficam assim à disposição do bebé para que seja ele a decidir o que fazer: agarrar, amassar, espremer, cheirar, levar à boca, comer...enfim o bebé explora através do alimento todos os seus sentidos.

Melhor ainda seria se neste momento nao houvessem distrações (TV,brincadeiras,etc) o bebé ficará em plena atenção a este alimento sentindo a sua textura, sabores, cheiros de uma forma muito intensa o que torna esta experiência muito presente e reveladora para o bebé.

Por ser totalmente oposto ao método tradicional,o BLW gera imensas controvérsias e também alguns receios nos pais, que se questionam muitas vezes se os seus filhos estão a receber todos os nutrientes supostos nesta nova etapa da vida.
Para responder a estas dúvidas é importante referir que a filosofia do BLW funciona a par com um regime de amamentação em livre demanda. "É importante permitir que o bebé consuma a quantidade que quiser de leite materno. Nenhum outro alimento é tão completo e tão fácil de digerir" diz Gill Rapley. Ora, sabendo que durante o primeiro ano de vida o alimento principal dos bebés deve ser o leite materno, este método de introdução alimentar em slow motion faz todo o sentido.
Porém as dúvidas normais dos novatos pais: Por onde começar? Não é perigoso? O bebé não se pode engasgar? Não faz uma grande borrada? Ele não vai ficar com fome?
Bom ao início não é esperado que o bebé comece logo a comer como se não houvesse amanhã, ele vai mais brincar do que ingerir os alimentos e por vezes, nem os levará à boca. No entanto ele vai tomar contato com cada um deles, sentir a sua textura, distinguir as suas cores, perceber os seus cheiros e sabores, ao contrário do que acontece com a comida de colher.

Algumas vantagens apontadas a este método são o desenvolvimento da autonomia e da coordenação motora dos bebés e até mesmo as suas habilidades sociais, uma vez que partilham desde cedo dos momentos das refeições em família. Por outro lado este método também é mencionado como uma ajuda no desenvolvimento da mastigação e como sendo promotor de um ritmo calmo de ingestão de alimentos ensinando a criança a comer de forma pausada e tranquila.

Quanto à questão do engasgamento, desde que o bebé esteja bem sentado na cadeira, O BLW não apresenta maior risco de engasgamento do que o método tradicional. As crianças possuem o chamado gag reflex, um reflexo natural quando estão a aprender a comer que dispara quase como um sistema de segurança interno. Elas atrapalham-se, normalmente ficam com os olhos cheios de lágrimas, mas conseguem gerir o processo sozinhas e desengasgar rapidamente, ou seja, a passagem de ar não fica obstruída. Ao passo que se for um engasgamento a sério a criança fica roxa e sem reação pois existe algo a interromper as vias aéreas.

E sim faz uma grande borrada, mas no fim de tudo limpa-se e já está. Se no final o bebé tiver comido pouco ou nada e estiver com fome pode mamar para preencher o vazio deixado!

Importante é sempre cortar os alimentos em pedaços grandes para que eles possam agarrar sem escorregar e trincar/comer sem correrem risco de engasgamento.

O regime que estou a realizar neste momento com a Noá, é de cerca de 4/5 mamadas de leite materno, 1 puré de frutas e 2 sopas de legumes (base cenoura, batata doce e abóbora), com uma proteína vegetal ( tofu,soja,grao de bico, quinoa, broculos) e vou adicionando beterraba, couve, etc ( preferencialmente tudo biológico).

Se quiserem saber mais sobre este método podem aderir ao Grupo de Facebook de Baby Led Weaning ou visitar o site da Gill Rapley: 

https://www.rapleyweaning.com/



Chegamos finalmente á receita!!

Vegan
Bio
Sugar Free

Espero que os vossos bebés gostem e vocês também

Ingredientes

-batata doce laranja cozida (1) 
- cenoura ralada(1)
- banana (1) 
- oleo de coco (2 cs)
- farinha de alfarroba(2 cs)
- flocos de aveia ( 3 cs) 
- canela

Preparação


Amassar tudo muito bem com as mãos, polvilhar com muito amor e estão prontas a ir ao forno pré aquecido cerca de 15 minutos ( vai depender se as quiserem deixar mais moles ou duras).


Namastê



"Feed your body and spirit with good food and thoughts"